Nerd Romance x 10²³

O primeiro romance nerd (talvez o único), inspirado é claro, em Memes, redes sociais, Nintendo na veia, minhas piadinhas ruins, blogs que eu leio, etc. Se você se perder na piada, consultar o santo das causas buscáveis, São Google, deve ajudar, se mesmo assim não entender, bom… get away from my blog!


Tudo começou com um retweet, ele viu o avatar dela e foi follow a primeira vista! Todos os seus leds se acenderam, as contrações sistólicas dobraram a velocidade. Logo ele tentou estabelecer contato, mas não poderia mandar um simples oi, precisava ser algo retuitável. Ela não era fácil de conquistar, 4 mil followers requisitando sua atenção, enquanto ele era apenas mais um nesta timeline de milhares de tweets. Ficou então Sad Keanu com a dura realidade. Só depois de muito pensar ele ficou confiante que, com seu JEITINHO, ele poderia conquistá-la. Considerou os fatos e sabia que poderia ter que passar por mil castelos, mas a princesa faria valer cada chefão derrotado.

Era um tweet ali, um RT aqui, e certo dia ele ganhou um reply dela! Como quem viu um passarinho azul, ele era todo risos, até fez uma List para massagear o ego de alguns twitteiros. Deu alguns props e distribuiu presentes no Farmville! Sua second life fazia sentido agora!

Sem querer parecer stalker, mas sendo, ele encontrou o tumblr dela. Entristeceu-se com a limitação de um Like por post, pois se tivessem mil coraçõezinhos, ele teria clicado e colocado S2S2 do lado. Frustrado pela falta de corações, foi atrás do Facebook da garota. Desejou o “Be the first of your friends to like this“, mas já eram muitos friends, acabou se contentando com um ou outro Like.


Viu no Last.fm que eles possuíam 70% de compatibilidade! Era fato, ela era a garota com quem ele queria partilhar todas as suas comunidades do Orkut e a quem ele queria favoritar durante toda a sua 1up. Falando em Orkut, lá ele descobriu que eram da mesma cidade.

As aproximações e as investidas renderam-lhe a primeira troca de DM. Era como o primeiro beijo, uma DM tímida, singela, mas que mostrava que havia interesse: “Como não te seguia ainda? Já dei follow =*”. A vantagem da primeira DM em relação ao primeiro beijo (certamente a única) é que nela é possível ficar olhando e revivendo o momento até enjoar, como se tivesse acontecido milhões de vezes, diferente daquele, que apenas deixa a lembrança do momento.


Ele só pensava: ela segue 200 e é seguida por 4.000. Eu sou um dos 200 sortudos. Começou a twittar em ovos, pois o medo do unfollow era diário. Sempre lhe dava #FollowFriday, sempre um blip dedicado a ela no #MusicMonday, era um romântico incurável. E ela notava, a cada dedicatória, enviava um reply menor que 3.

O tempo era chegado: finalmente havia liberdade para pedir o msn. Olhou para todos os lados e nem sinal do Mick Jagger na torcida, então ele se encheu de coragem. Como um treinador Pokémon na hora da batalha, mandou uma DM com sua melhor cantada: “Como o Link sem sua espada, sem o seu msn eu não sou nada”.

Era o fim da era dos 140 caracteres, agora ele era livre para usar emoticons, conversar com mais intimidade, e mal esperava pela primeira mensagem de voz ou a primeira aparição na webcam. E ela era receptiva, sempre enviando smiles simpáticos em resposta.

Não se chamavam Eduardo e Mônica, mas decidiram se encontrar e, segundo as Condições Normais de Temperatura e Pressão, um amor clichê de internet deveria começar no shopping, por causa de todo aquele blábláblá que eles ouviram na tv de que era bom ser um lugar público, movimentado, para evitar o encontro com algum psicopata que geralmente se chama “Loirinha Htinha19” no seu msn.

Fazia tempo que ele não saia de casa para um passeio, olhava as pessoas se divertindo, e então chegou perto do local de encontro. Ela estava lá, conforme o combinado, lendo um livro, de preto, com as madeixas loiras iluminando seu colo. Parecia bom demais para ser verdade, “is it the real life?” ele pensava.

Eles tinham combinado uma frase para confirmar o reconhecimento na hora do encontro, que seria: Moça, que horas são? “É hora de morfar!” era sua resposta. Foram ao cinema, para garantir o desinibimento em progressão geométrica. Depois optaram tomar um lanche, ela era vegan, ele respirava BigMac e choramingava sempre, pois o mundo perfeito seria se todos os hambúrgueres tivessem 50% de bacon. Ao comentar sobre o filme, ele elogiava a atuação de Cate Blanchett, ela mal lembrava da mulher ruiva, mas conhecia a fundo a trilha sonora.

Em resposta ao comentário dela sobre música, e aproveitando a compatibilidade musical, ele investiu em Weezer, mas ela mal gostava de um CD da banda, seu Last.fm era mais para encontrar contatos legais do que para mostrar seu gosto musical, ela ouvia de tudo um pouco. A palavra “eclética” não chegou aos lábios dela, ele apreciou isso, no entanto, se sentiu perdido ao perceber que a garota era muito mais Beyoncé. E achou uma p*ta falta de sacanagem quando ela manifestou que a canção da sua vida é Hoje, do Jota Quest.

Ele fez alusão à piada mais engraçada do mundo, ela nem riu. Ele sentia como se para cada tentativa sua, um menos gigante aparecesse sobre a cabeça de ambos, ele sabia que se mais um menos surgisse, ele perderia a garota. Começou a lembrar das opções de interação que há no The Sims: conversar, fazer cócegas, fofocar, fazer um truque mágico, abraçar, beijar… OMG, beijar?! Ambos já estavam bem próximos um do outro, e ele começou a perceber que, não importava ela que ela não conhecesse Monty Python, ou que não ouvisse as mesmas bandas que ele, talvez ela mal entendesse de videogames também, mas ela era uma garota simpática, fofa, que sempre lhe deu atenção, tinha sempre assuntos interessantes, e além de tudo era bonita pra caramba.

A garota ainda falava sobre o Jota Quest quando percebeu que ele a fitava sem respostas. Ela olhava para o lado, olhava para ele, e ele continuava olhando-a, como que admirando-a. Por fim, ela perdeu o jeito e resolveu perguntar o que ele tanto observava. Ele, por sua vez, replicou: estava notando que você é o pentaminó que faltava para o meu Tetris, a melhor música a tocar na minha ocarina, a estrela que me faz invencível, a GoldenGun com truque de munição infinita, o Game Shark que…. Ele iria continuar a melação nerd quando ela colocou a mão em sua boca, em um gesto de silêncio, então ele criou coragem para fazer o que o príncipe Eric deveria ter feito desde a primeira vez em que viu a sereia Ariel, e beijou a moça. Eu não estava lá, mas dizem que este foi o beijo mais apaixonado de todos os tempos, eu disse: de todos os tempos!


Anúncios

16 comentários sobre “Nerd Romance x 10²³

  1. Confesso que já comecei a seguir muita menina no twitter pela beleza e inteligência. Pena que na hora de ver o location é sempre “Rio Branco, AC” ou “Macapá, AP”. Até na internet mulher bonita mora longe! Ô DUREZA! hahahaha.

    Aliás, ficou MUITO legal esse Nerd Romance! =D

  2. Sensacional!
    Não sei se é bom ou triste entender quase todas as referências nerds nesse romance, mas é muito bom!
    Dá pra imaginar muito bem isso numa cena do TBBT! Só não consigo imaginar uma mulher que goste de ouvir elogios como os do final do post… o___O

  3. Muito bom, ótimas sacadas, coisas que nem imagino como vc reuniu (lembrou) e associou.

    “…Olhou para todos os lados e nem sinal do Mick Jagger na torcida,..”

    ou “Eduardo e Monica” entre muitas outras citações inteligentes e engraçadas.

    Já eu, Felipe, sempre conheço garotas legais moram em São Paulo =/

    Tb gostaria de saber pq toda nerd legal é vegan? Que mania de comer tofú!! =/

  4. Mercuryo, eu tenho todas essas associações na cabeça (e muitas outras que não couberam aqui), alguém disse q era engraçado como q eu fazia tantas associações nerds em uma única conversa, dias depois, não sei como, deu na telha e comecei a escrever XD

  5. Show de bola..
    Eu adorei..
    Historinha bonitinha, fofa e engraçaralho pra cadilho..XD Eu ri bastante, principalmente nas partes “is it the real life?” e “É hora de morfar”
    Fico imaginando o uma briga:
    – 'Ele pensava: Espero que as caixas de som dela estourem se continuar no volume máximo. Torcendo pra q ela perdesse a voz de tanto gritar..'
    – 'Essa conversa tá num loop infinito..'
    – 'Nossas configurações são muito diferentes…'

    Melhor eu para por aki.. se não eu me empolgo tb..

  6. Jess, vc é um poço de criatividade! Mas eu tbm acho difícil alguém que se encante com os 'elogios' do último parágrafo, hehehe.
    É, difícil essa vida de conhecer as pessoas virtualmente né, triste sina.

    Ahh, a propósito, lindo seu novo botão de follow-me. =D

  7. Super criativo!!!
    Conforme ia lendo relacionava as citações nerds com a história e as coisas reais e dei muita risada! kkk
    Quanto a conhecer pessoas pela net me desencantei já “é cilada Bino”…rsrssrs

  8. Só posso dizer que espero outros contos nerds, cheios de referências, eu não entendi todas as suas associações.
    E sei como é isso, de ficar citando outras coisas nas conversas, eu faço muito isso com seriados. Sempre cito um ou outro episódio, personagem ou série nas conversas.
    O chato disso é que a maioria (99,9999999%) das pessoas fica olhando pra gente com cara de paisagem e você acaba parando com as referências.
    Parabéns de novo, e pra num perder o embalo um filme romântico bacana e meio moderninho, como o conto, é 500 dias com ela, da Zooey. Esse conto me lembrou dele.

  9. óóóóin… q fofo jess! (comentario gay porem sincero)

    Não para com as refs de Monty Python por favor! A humanidade tem o direito de saber a velocidade aérea de uma andorinha africana carregando um coco!

    Abraço!

    P.S.: E agora, para algo completamente diferente…

Deixe o seu comentário ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s