Se video game mata, eis a lista de 10 jogos para promover a paz

Desconheço a mente genial criadora da hashtag #videogamemata no Twitter, mas eis aí uma discussão que é não só edificante como assaz divertida.
A sociedade segue a vida, fragilizada após a chacina que houve na escola do Rio de Janeiro . O jovem Wellington, responsável pelas mortes, era alguém muito ligado à internet, que jogava muito video game e que provavelmente sabia o que é Tumblr, Formpring.me e Google Buzz; e nunca ficaria em algum lugar com a promessa de que teria bolo, pois sempre soube que o bolo é uma mentira¹. Neste momento,  você leitor se identificou com ele, não é mesmo?
Diferente do jornalismo sensacionalista, eu não ignoro que existem doenças mentais que existem, independente de religião, classe social, bullying e principalmente: INDEPENDENTE DE VIDEO GAME.
O mais interessante é pensar que o video game pode incentivar qualquer tipo de atitude violenta que já não estava anteriormente lá, como se algo virtual fosse capaz de inserir na mente e no caráter de uma pessoa o que ela deve fazer. 
Sendo assim, me prendam pelos mil Yoshi’s que eu já joguei no abismo, só para me salvar. E cuidado comigo, pois minha crueldade no Tetris pode significar que eu não sei competir de maneira saudável, e a maneira como eu usei os ursinhos no Conker: Bad Fur Day para degolar alguns esquilos mostram claramente que sou uma pessoa perigosa, potencial assassina, possivelmente a Miss Hannibal 2011. Isso sem contar o The Sims! (Quem nunca fez um ato desumano no The Sims, saia do meu blog, pls)
Mas aí, se video game mata, as novelas só ensinam porcaria, e os livros também podem ensinar muita coisa ruim (tem muita violência na Bíblia, sabiam disso?) vamos destruir tudo e montar um mundo cheio de arco-íris e de unicórnio. Quem sabe montando A Vila, de Shyamalan², não vamos ver que somos originalmente puros (aham Cláudia) e cheios de boas ações no coração, e que só nos tornamos maus por causa desses video games demoníacos!
E para este mundo lindo e colorido, apresento 10 jogos para promover a paz, nos tornar pessoas melhores e para impedir que você mate alguns jornalistas pelas últimas matérias apresentadas na televisão:

1. GTA Grand Teletubbie Auto: aprenda a andar de carro nessa cidade linda e fofinha com aquele sol sorrindo alegre para você! Respeite todos os moradores, pare no sinal e trabalhe duro que no final terá creme gostoso para todos!
2. Super Mario Therapy: chega de matar Goombas, chega de correr atrás da Peach, chega de abandonar o Yoshi, chega de cogumelos alucinógenos, tudo o que você precisa é sentar e conversar a respeito dos seus medos. Também trataremos essa obcessão pela princesa!
Yoshi agradece a sua iniciativa de lidar com seus problemas.
3. Xadrez multi-racial: porque peças brancas e peças pretas é um preconceito contra o povo asiático e contra os indígenas!
4. Birth of all Kombat: em vez de entrar em um torneio para matar as pessoas, aqui você é um obstetra e tem o incrível desafio de fazer vários partos em um dia só! Isso sim é Babality!
5. Resident Eevee: Acompanhe as aventuras da residente de medicina Eevee e seus amigos nerds em seu estágio na Umbrella Corporations! 
6. 007 contra o aquecimento global: Nada de matar, as armas do agente secreto 007 são as ecobags e organizar manifestações para salvar o planeta!
7. Veg-Man: ajude o lendário monstrinho amarelo a fugir dos monstros da carne vermelha e a comer somente frutas e vegetais orgânicos com certificação!
8. Zelda: watering pot: Nada de ganância, realizar desmatamento atrás de rupees e de violência, é a preocupação com o meio ambiente e o amor ao próximo que levará o jovem Link até a princesa Zelda. Seus instrumentos: um regador e uma ocarina.
9. Street Fighter: a maior batalha de todos os tempos de…dança de rua! Isso mesmo, é preciso muito gingado para este Hadouken surpreender os concorrentes!
10. Bomberman’s factory: nesta padaria você vai fazer bomba de chocolate, doce de leite, morango e ganha pontos se inventar sabores novos!
Acho que já é muito arco-íris e trocadilhos podres para um post só, não?
¹Piada interna que só bonitos entendem.
²Muita vergonha de citar Shyamalan em um post, MUITA.
Anúncios

5 comentários sobre “Se video game mata, eis a lista de 10 jogos para promover a paz

  1. ” – Seu Juiz, veja bem, meu cliente é inocente e posso provar! Quem de fato matou a pobre criança foi a bala! Sim, Meretíssimo, o projétil assassinou friamente aquela inocente. E como já se concluiu nas investigações, o mandante o .38 Taurus! Atualmente foragido. Desta maneira, Meretíssimo, meu cliente, esta boa pessoa que todos podem ver, é apenas alguém no lugar errado, na hora errada! Uma testemunha, vítima do infortúnio de toda esta violência…”

    Pois é, sempre que acontece algo que a sociedade tem que engolir e não consegue vomitar as pessoas, especialmente a mídia sensacionalista, apela para as desculpas. Foi o RPG, os livros de ocultismo, o video-game, a maldita internte… Sempre tem que ter um culpado pois não se pode culpar os coitadinhos dos seres humanos…

  2. Naquele caso de Columbine (1999), que ficou famoso mundialmente, a mídia culpou os vídeo-games, os filmes violentos e até o Marilyn Manson!

    Quem assistiu o documentário do Michael Moore, Tiros em Columbine, ou que pelo menos tenha um pingo de inteligência, compreendeu que nenhum desses foi o real motivo. Quase todos nos EUA tem armas, tem propagandas de armas na televisão e vc consegue arma fácil (ele até deu um exemplo onde um banco ao abrir sua conta vc tbm poderia adquirir uma arma). Enfim, ñ vou explicar tudo, recomendo assistir o documentário, mas com certeza ñ foi culpa do Manson nem de jogos violentos.

    Aí ontem me aparece no Domingo Espetacular dizendo que o doidim de Realengo matou as crianças por causa de jogo. VÃO PASTAR os ignorantes e atrasados que fizeram aquele LIXO de matéria! Video game ñ influenciou droga nenhuma. O cara via violência todos os dias na televisão sobre atentados terroristas e tudo mais, ele via reportagens babacas ensinando como adquirir e usar uma arma, certamente ele pesquisou e se inspirou (como mtos outros) no massacre de Columbine e uma porcaria de jornal vem me dizer que a culpa é dos vídeo games? A culpa é deles mesmos, da mídia, que mostra em suas digníssimas reportagens como mta gente consegue arma. Culpa dos sites que ensinam a qlq um a usar arma. Culpa do próprio cara que ñ tinha + nada pra fazer da vida e decidiu matar as crianças. E culpa da sociedade que exclui e pisa em várias pessoas como ele, e depois q a pessoa fica “revoltada” a sociedade ñ assume a culpa e as chamam de loucas!

    Se brincar os jogos ajudaram o cara adiar ainda mais seus planos, pois com certeza ele descontava a raiva nos “bonequinhos” dos jogos e ñ em pessoas reais.

    Vejam bem, jogo vídeo game desde os 4 anos. Desde os 7 jogo games violentos como 007, Duken Nukem, Turok, Rainbow Six, etc. Já joguei CS, Halo, Call of Duty, Battlefield e mais um pilha de jogos de tiros! Hj tenho vinte anos e sabe quantas vezes briguei na escola? Nenhuma. Matei alguém? Não. Ameacei alguém? Depende, ontem falei pra minha cadela q se ela não ficasse quieta a colocaria pra fora, isso conta?

    Isso é totalmente relativo. Se um mlk idiota de 15 anos tem cabeça fraca o bastante para se deixar levar por qlq porcaria de jogo, aí é problema do mlk e idiotisse do mlk. Com certeza, tem pessoas (principalmente adolescentes) fracas q se deixam levar por qualquer coisa, até por um jogo. Mas ñ podemos generalizar. Se for assim então as novelas influenciam mto mais. Nelas tem cenas de violencia que o brasil inteiro vê. Oras, então novela influencia, pq ñ falam delas hein? E o jornalismo sensacionalista? E os filmes brasileiros que só tem violencia e sexo? Pq ñ falam disso? Quem já ñ viu crianças na escola imitando o Cap. Nascimento e fingindo com as mãos que estão portando uma arma? Agora colocar culpa em jogos é o cúmulo do absurdo! Já foi provado que pessoas que jogam video game tendem a exercitar mais o racicínio lógico e ainda serve para aliviar o estress e a tensão.

    É simples, se tem mlk burro e fraco o suficente para deixar se levar por joguinhos, é só os pais fazerem papel de pais e colocarem limites nas ideias bestas dos filhos.

    Nem todos que jogam games violentos vão sair por aí matando criancinhas. ¬¬ Mto pelo contrário, em vez da pessoa sair por aí descontando sua raiva em outras pessoas, ela desconta a raiva em personagens virtuais.

Deixe o seu comentário ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s