Se for add deixa….OH WAIT

Lembra do famigerado anúncio  deixado por todo mortal na rede social em experiência de pós-morte,  “só add se deixar scrap”? E isso servia para…? Óbvio, para que a pessoa te lembrasse de onde você a conhece, pois as pessoas até então usavam redes sociais para manter contato com seus amigos, colegas e parentes, e não queriam estranhos tendo acesso às suas fotos e informações pessoais, certo? E claro, dando uma ênfase especial às fotos.
Antes de tudo, as pessoas iam aos eventos e só tiravam fotos do que fosse memorável: formatura, casamento, aniversário. Com as câmeras digitais, as Casas Bahia e suas prestações a perder de vista e a TekPix, a câmera que só não está postando neste blog agora, pois ainda não a programei para isso (minto, não tenho uma), o ato de tirar fotos não implicava gastos mais, portanto fez com que toda a mágica desvanecesse para dar lugar a um novo ato: a futilidade. Foto do barzinho com os amigos, foto de aulas na faculdade, foto no banheiro, na sala, no quarto, foto de perfil em rede social, foto de tudo. Mas com o tempo, a futilidade também tomou forma e utilidade. Com as fotos você pode dar personalidade à sua vida virtual, fotografar acidentes, ou ter noção de como está o trânsito em Recife, sendo que você mora em Porto Alegre, e só soube disso pelo Twitter. Twitter, chegamos aonde eu queria. 
O relacionamento nas redes sociais não são sempre os mesmos, embora no início tendiam a ser. 
Orkut, onde tudo começou?
Nem fale nada, você tinha BuddyPoke QUE EU SEI.
No Orkut, você queria adicionar só quem você conhecia, para mostrar suas *fotos* do fim de semana, trocar idéias e os famigerados scraps, além dos depoimentos (aquela rasgação de seda, em que todo mundo ama todo mundo, todo mundo é fantástico, lindo e tal). A questão não é a inclusão digital, a questão não é gente infeliz fazendo fake  de cachorros. Você saiu do Orkut pois o serviço não lhe satisfazia mais, ou você é só um zumbi sem opinião que segue a correnteza e faz com que alguém na foto abaixo tenha ~ bilhões de motivos para rir. 
E o Facebook…
Mark rindo enquanto pode, será?
No Facebook você adiciona seus amigos, e com o botão do like, pode interagir com eles na timeline, em que todos comentam, e por isso a febre toda em volta da rede social (na qual eu não tinha mais de 20 amigos há 2 anos atrás). A interface clean conquista, os social games e os eventos também.
Me segue que eu te…
No Twitter quem você “adiciona” não necessariamente “adiciona” você. Você não necessariamente quer falar com seus amigos, pois o que você quer é entretenimento, notícias, dar risada, discutir assuntos e se expressar o máximo que dá em 140 caract…  Portanto, não importa se você segue um estranho, ou alguém que nunca falará com você. Não importa para a pessoa se você é legal ou o que você fez no fim de semana, a única coisa que importa é que rolem tweets de interesse para quem segue. E claro, se você quer compartilhar fotos, existe o Twitpic, e também tem o Twitcam para aparições ao vivo, um serviço deveras famosinho.
E o Tumblr?
No Tumblr, assim como no Twitter, é a regra de seguir e ser seguido, portanto, não é uma real amizade. Aliás, não é um real nada. Você segue alguém que você pode não fazer idéia de quem seja, você não sabe de onde a pessoa é, você não quer saber, você nunca mandará um reply para a pessoa, pois nem tem como fazer isso (no máximo uma pergunta na caixinha Ask, isso para os usuários que a deixaram ativa). Simplesmente não é amizade, são likes e reblogs e assim a máquina funciona e você vicia. E você gosta das pessoas e nunca saberá a idade delas, ou conseguir o msn (igual pode rolar no Twitter), pois o que interessa são likes e reblogs, memes e comemorações, imagens que você nunca veria em outro lugar da internet.
Você está olhando para David Karp, o criador do Tumblr. E se você for garota, você está olhando há mais de 10 segundos.
Aiaiai, o Google +


E o Google +, Jess? Bom, ainda estou na exploração do Google +, e posso falar a vocês que, assim como no Twitter, Facebook e Tumblr, se você restringir suas conexões a contatos da vida real, você pode perder o melhor da coisa. O G+ misturou aquela coisa linda que era o Google Buzz, em um lugar em que você pode postar de tudo, usar o Gtalk (sem automaticamente adicionar contatos que você adicionou ao seu círculo), e brincar de Hangout com a galera (é ótimo!). E pegou o melhor do Twitter e Tumblr: quem você adiciona não necessariamente virou seu contato, e só se tornará se ele te “circular” também (sim, lá você coloca as pessoas em círculos). O seu fim de semana pode ter sido super legal com a galera, então tire uma foto e poste no Twitpic ou no Instagram, pois estamos ficando sem tempo para olhar tantas fotos, já que o conteúdo não pára (enquanto você está dormindo, sua timeline do Twitter e dashboard do Tumblr estão acontecendo e você está perdendo tudo: pense nisso)
A minha dica seria: não faça do G+ o seu querido diário, e procure por usuários interessantes, você pode até adicionar seus amigos, mas faça um círculo que valha a pena acompanhar. Você não é um cachorro adestrado, vá atrás do conteúdo e pare de procurar o Orkut em toda rede social em que você entra. 
Anúncios

5 comentários sobre “Se for add deixa….OH WAIT

  1. Esta coisa de “redes sociais modernas” é algo curioso. As pessoas nem sabem o que, ou quem, são e querem se enturmar naquilo que está “bombando”. Isso sempre existiu, antes se tinham gírias e roupas específicas que caracterizavam os grupos. O caso é que como entrar para algum requeria bem mais que dois cliques, a pessoa tinha realmente que se identificar com aquilo, encontrar uma porta de entrada, e fazer parte da “turminha”. É assim, sempre foi e talvez piore. Seres humanos sempre buscam semelhantes.

    Com o surgimento do Orkut a coisa tomou outras proporções, quando entrei naquilo queria ver do que se tratava e vi que como tudo na vida tinha muita coisa que me servia e um número muito maior de outras que não me serviriam jamais. Há muitas comunidades interessantes no orkut, de fotografia por exemplo, fiz parte de duas! Muito produtivo. Ai veio o facebook, tá lá, é um meio razoável de enviar recados. Não me adaptei ao twitter, não conheço o Google +. Mas o caso é que de tudo isso, a única coisa que eu menos consegui nestas redes sociais foi encontrar seres da minha espécie!

    O que é curioso, cria-se um meio de você buscar semelhantes, mas com um leque tão grande de possibilidades de outras coisas que as pessoas se esquecem que estão ali para isso. Os mais bem aventurados vão tirando proveito do que possuem, os outros vão sendo aquela massa zumbi que sustenta o peso do mundo e a vida segue, é assim mesmo.

  2. As redes sociais baseadas na internet para maioria das pessoas se tornaram uma forma de fingir ser popular. O “Me segue que eu te…” é a prova disso não importa quem você é a relevância do que você tem a dizer, o que importa é que você reforce o número dos meus seguidores. Não sei como avaliar isso no Google +, a massa ainda não tomou contam, mas a tendência deve ser a mesma.
    Acho que os obtusos não pensam nas informações que podem conseguir ali, mas entram nas redes porque seus amigos estão lá ou para ser um webstar…
    Ai está o lado bom das redes específicas, você só encontra pessoas realmente se interessam pelo assunto e que estão ali pelos mesmo motivos que você ou não já que os malditos spammers estão em todos os cantos.
    Ótimo post, fiquei uns 15 segundos encarando o David Karp.

  3. Eu gostava (e ainda uso) do orkut por ser seimplesmente essa coisa: você e seus amigos. Quando ele tentou copiar o facebook ficou uma bosta.

    Não vou muito com a cara do facebook por causa dos joguinhos, que acho um porre, tenho que ficar sempre bloqueando um aplicativo novo, e essa coisa de ficar aparecendo na timeline comentários de seus amigos em coisas de outras pessoas que você não conhece.

    O Twitter só aprendi a usar depois que passei a usa o Tumblr. Sei lá porque me adaptei mais fácil a essa lógica de seguir no Tumblr do que no Twitter.

    E acho que a lógica do G+ é justamente juntar a lógica dessas redes sociais todas. Você pode criar cículos a lá twitter/tumblr, que você segue pessoas interessantes e ter outros círculos mais facebook (joguinhos) ou orkur (seus AMIGOS).

    E sinceramente, não ligo pro que acontece na minha timeline quando não estou conectado ou dormindo. xD

  4. O que eu curto no G+ é que as atualizações chegam no meu gmail, no quadrinho ali em cima, então não preciso ficar com ele aberto.

    Já adicionei muita gente e já descirculei algumas.

    Tou gostando e já estou usando mais que twitter e facetruque.

  5. Well… eu fiz vários “amigos reais” via tumblr, é só saber onde procurar xD
    No meu caso num achei nenhum brasileiro gente boa. Mas depois que eu me juntei a um grupo de RP… troca de MSN e longas conversas engraçadas. Povo super gente boa. Acho q dei sorte neh? =P
    Bjs, e nem preciso dizer neh? Seu blog é ótimo xD

Deixe o seu comentário ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s