Conte 4

Esta é a parte no blog que foi feita para você leitor participar!

Esses dias me baixou uma vibe nostálgica que me fez lembrar de várias músicas antigas que eu curtia, e que claro, não tem mais nada a ver com o meu gosto musical hoje.

Quando somos crianças ouvimos um tipo de música, geralmente na adolescência na música encontramos muito daquilo que mais buscamos: descobrir quem nós somos. Acontece também que na adolescência você comete algumas bobeiras e erros e quando chega aos seus 20 e poucos anos, olha para trás e ri disso, não é mesmo? Todos em menor ou maior grau experienciaram isso ou conhecem alguém que já. 

Pois bem, a tarefa do dia: Conte 4 músicas que você achava demais quando você tinha 15 anos, e que hoje você percebe que nem era grande coisa. 

Eis as minhas respostas: 
1. Complicated – Avril Lavigne: porque de riot e de anti-Britney todo mundo teve um pouco.
2. Without me – Eminem: o que eu tinha na cabeça, alguém pode me explicar?
3. Boiler – Limp Bizkit: confesso que até hoje eu tenho uns momentos que abro o youtube só pra ouvi-la X,D
4. Between angels and insects – Papa Roach: fui dessa época, mas hoje não tem sentido ouvir essa música, para mim (sério, não consegui nem ouvir a música até o final para escrever o post).
Não vou falar de Blink 182 e Red Hot Chilli Peppers, porque eu ainda acho legal, ok? (Síndrome de Peter Pan feelings)
Mas enfim, a gente cresce, vira hipster, e passa a ouvir músicas de bandas como Eisley ou cantoras como Olivia Pedroli, que vocês nunca ouviram falar.
Anúncios

8 comentários sobre “Conte 4

  1. É, desta vez não vai dar para eu colaborar já que as músicas que eu ouvia quando tinha meus quinze anos, e gostava, são as que ouço hoje. A grande maioria de bandas dos anos sessenta e setenta, do rock britânico.

    Hoje há coisas que ouço e gosto, como o bom blues do Hugh Laurie mas, é por ter surgido agora. O inverso não acontece muito comigo.

    Aliás, isso me leva a uma reflexão: eu sempre leio ou ouço as pessoas falarem da diferença da época em que eram adolescentes e depois para os vinte, vinte e poucos anos. Isso é curioso para mim pois eu não passei por isso. Hoje, já passado dos trinta, eu não me vejo exatamente diferente de quando tinha onze anos. E vou até além, as coisas que eu fazia com oito anos (ler – no caso livros da coleção vagalume – jogar videogame e ver star trek apaixonadamente) é basicamente o que faço e gosto de fazer hoje em dia.

    A grande diferença no meu caso é que hoje eu trabalho e não moro com os pais. Claro que amadureci de lá para cá, e finalizei conceitos em formação, estruturei melhor algumas escolhas. Mas não há nada que eu possa pensar: “nossa, fiz isso aos 14 anos, e hoje eu não faria novamente”. Ou “poxa, como eu gostava disso aos 16 e hoje não gosto mais…”

  2. Ai, momento vergonha alheia (pq eu era outra pessoa né, então a vergonha é alheia, hahaha), vamos lá!

    1- Teto de vidro, Pitty – eu tenho vergonha só de mencionar isso, não precisa nem se preocupar com sermão.

    2- Everytime, Britney Spears – eu me sentia o ser humano mais compreendido da face da terra com essa música e hoje nem sei o porquê…

    3- Helena, My Chemical Romance – nem era fase gótica, só gostava da música por causa do nome do Livro de Machado de Assis, que a personagem morria no final tbm, enfim, é talvez fosse uma fase ótica…

    4- Me voy, RBD – pra fechar a lista com chave de ouro.

  3. Eu concordo com o Oficial de Ciência… É claro que existem músicas ligadas a épocas da nossa vida. Com 14 anos eu ouvia Roupa Nova, Raul Seixas e Engenheiros do Hawaii mas não me arrependo e ainda escuto Raul e Engenheiros as vezes. Roupa Nova eu quase não escuto e o motivo não é ter deixado de gostar mas ter me tornado menos romântico.

    Obs.: Eu gosto da Pitty, não considero uma cantora teen. Das músicas eu observo as letras e o contexto histórico e acho que a Pitty tem muito a dizer.

  4. Na verdade vou colocar da aborrescência porque exatamente aos 15 anos eu não lembro direito tudo que eu ouvia. Mesmo assim já vou passar vergonha suficiente hauheuhae!

    1. In the end – Linkin Park: puxa todo mundo gostava dessa música e fazia clipes com isso!

    2. My heart will go on – Celine Dion: na época eu gostei pacas de Titanic >_< 3. Livin' la Vida Loca – Ricky Martin: eu achava a música alegrinha. Pelo menos nunca me iludi sobre a heterossexualidade do cantor xD

    4. Incancellabile – Laura Pausini: essa na verdade eu devia ter uns 12 anos, ouvia o álbum sempre mas essa música ficava no repeat porque me fazia desenhar muito. Deve ser algum defeito grave da minha cabeça.

    Bonus round! Várias aberturas de anime: eram muitas que eu achava legais, até algumas com minas de vozes insuportáveis. Incompreensível /o\

  5. Momento vergonha alheia, como disse a Dani Pimenta.

    1/2. Avril Lavigne – skater boy and complicated: me trancava no quarto e ficava cantando loucamente (geralmente usando a escova de cabelo como microfone) hahaha, quem nunca?

    3. Likin Park – Numb: ouvia mais quando estava estressada

    4. Felipe Dylon – Musa do verão: OMG, terrible! D:

  6. Pelo que seguem os comentários, das duas uma: ou só as mulheres ouvem músicas que se arrependem ou os homens não tem coragem de revelar as músicas vergonhosas que ouviam.

    Eu ainda ouço hoje muito do que ouvia aos 15 anos: Nirvana, Rage Against, System of a Down, Norah Jones, ABBA e por aí vai.

    Quando criança, uns 9, 10 anos, eu me lembro de ouvir uns funks, que na época não tinham letra tão podre. Bom, só de ter letra já era algo.Os funks de Claudinho e Buchecha, um sucesso antigão do Latino que nem lembro mais o nome.

    Quando muito criança, uns 6 anos, me lembro de gostar muito de Sandy e Junior, Leandro e Leonardo. Aliás, meu gosto de ABBA vem dessa época, minha mãe tinha um disco de vinil que ganhou do meu pai de namoro, que existe até hoje.

    E neste exato momento estou ouvindo Mozart – Piano Sonata in A Major.

  7. Antes de mais nada, concordo com você Mercuryo, também não considero a Pitty uma cantora teen,
    pois suas musicas são embasadas em Adolf Huxley, Balzac….

    1.Complicated – Avril Lavigne-> eu ainda não sabia o que era riot de verdade tipo Bikini
    Kill e The Runaways.

    2.In the end – Linkin Park ->Totalmente incomprensivel, hoje abomino essa musica.

    3.Over my head – the fray -> Essa musica era tudo quando eu tinha 16 anos. Vai entender neh?

    4. Close Time – Smile -> Putz, essa é terrivel, foge totalmente ao meu estilo atual.

  8. Bom, da época da adolescência, que não tenha mais a ver com meu gosto musical, até que não tem tanta coisa, porque foi ali que comecei a formar isso. Mas tem muita coisa que não coloco mais no meu mp3, mas dou boas risadas quando ouço num lugar e estou devidamente alcoolizado pra apreciar!

    1. Wannabe – Spice Girls: eu até tinha comprado o CD! adorava o clipe!
    2. I Want It That Way – Backstreet Boys: gostava, e não gostava de admitir já na época. E era muito bom aquele flash que rolava nos primórdios da internet no .br sacaneando com essa música.
    3. Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda – Kid Abelha: ok, hoje em dia ainda gosto de Kid Abelha, mas eu veneraaava a Paula Toller, achava eles demais. sorte que nunca cheguei a ir num show deles pra pagar mico de tietagem gratuita e desnecessária.
    4. Human Behaviour – Björk: esse não é que seja ruim, só não faz mais parte do meu presente musical.

Deixe o seu comentário ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s