Atenção gamers para o Game Champz Arena 2013

Como vocês estão, leitores? Dessa vez estou aqui para dar um recadinho para vocês. No fim deste mês vai acontecer um evento muito MUITO legal para gamers, cosplayers e simpatizantes (todo gamer tem direito a ter uma namoradinha noob). Será o primeiro “Game Champz Arena”, uma grande feira de games cheia de atrações e com seis arenas para os amantes dos jogos medirem suas forças. Saiba aqui sobre esse evento!

LEIA MAIS +

Mitos e considerações sobre as verdades apresentadas em Adventure Time

Adventure Time ou Hora de Aventura, como conhecemos aqui no Brasil, é uma série animada bastante interessante e talvez uma das melhores dentre as que atualmente estão em exibição. Ela conta a história de Finn, o humano; e Jake, o cachorro; na fantástica Terra de Ooo.

Para elaborar minhas considerações sobre o que aparece na animação, eu vou tentar não parecer aquela gente louca que fica falando das mensagens subliminares dos desenhos da Disney ou então a mãe da Carrie de Carrie, a Estranha, uma religiosa louca que acreditava que praticamente tudo era pecado. Vou tentar enumerar o post, mas apenas para falar de cada aspecto, a numeração não é nenhuma colocação sobre nada.

LEIA MAIS +

She is bad

Agora vamos falar das garotas más? Não sei vocês, mas eu sempre gosto mais do vilão, eles são sempre melhores psicologicamente, no mínimo. Chega de papo e vamos conferir a maldade que está no VJ hoje.

                                                         Bellatrix Lestrange


– Helena Boham Carter 
– Saga Harry Potter
– Comensal da morte, aliada de Voldermort
– Bruxa sangue puro
– Cruciatus, magia em geral
– “Você tem que querer, Potter!” Disse quando Harry tenta a maldição cruciatus e apenas consegue derrubá-la.


Mystique



– Rebecca Romjin/Jennifer Lawrence 
– X-men, Marvel
– Irmandade de mutantes, aliada ao poderoso Magneto
– Mutante, transmutação
– Dissimulação, manipulação
– “Quando eu sair daqui, vou matar você”

T-X


– Kristanna Loken as T-X 
– Exterminador do futuro
– Skynet
– Androide 
– Canhão de plasma, lança chamas, entre outras
– “John Connor was here, where is he?”

Catwoman



– Michelle Pfeiffer/Halle Berry/Anne Hathaway
– Batman, Mulher-Gato, DC Comics
– Renegados, Aves de Rapina, Liga da Injustiça
– Humana, ladra profissional
– Atleta, exímia lutadora, chicote e unhas afiadas
– “MIAU “

O- Ren Ishii


– Lucy Liu
– Kill Bill
– Deadly Viper Assassination Squad, Chefe do crime organizado de Tóquio
– Humana, assassina
– Habilidades em artes marciais, técnica com espadas, 
– “Se você não pode lugar como samurai, pode ao menos morrer como samurai”

Fênix Negra




– Famke Janssen
– X-men, Marvel
– Mutante telepata
– Pirocinese, adaptação pulmonar, sensibilidade cósmica, alquimia
– “Eu sou o fogo e a vida encarnados, agora e sempre eu sou a Fênix”


Gostaram?
Deixem nos comentários sugestões para nossa próxima listinha de bad girls

Coisas que se você fizer, você perde sua carteirinha de nerd

A banalização está atingindo proporções nada banais e creio que com a inversão do inverso, provavelmente banalidades serão tratadas como serious business e serious business serão tratadas como… OH WAIT, isso já aconteceu, e mal chegamos em 2011. 
Uma das coisas que faz com que qualquer nerd, garoto sofrido da escola, que só fechava as provas, não pegava ninguém, que todo mundo queria copiar as tarefas e pior: que todo mundo fingia ser amigo apenas para usufruir de suas habilidades intelectuais, pirar é a banalização dos nerds. De um dia para outro, ser nerd virou cool e se você é míope e sabe logar no hotmail, já estampa na testa um SOU NERD, todo feliz. Você conhece um meme e se acha o nerd. Você faz engenharia e se acha o nerd. Você assiste The Big Bang Theory e se acha nerd.

Enquanto os reais nerds não ressuscitam Douglas Adams apenas para que ele acorde e se suicide de desgosto de ver tantos pseudofãs lendo os livros dele e se mostrando apreciadores só para disfarçarem que no passado foram os “capitães de times de futebol” e as “líderes de torcida” do status quo, tem algumas coisas que podem desmascarar estes fake nerds, te devolvendo todos os seus anos de estudos e bullying. Eis então 10 coisas que, se você fizer, meu amigo, na próxima vez que você tentar jogar videogame, seus dedos vão cair, seu cérebro irá derreter, e seu destino será ficar babando o dia todo, assistindo Vale a Pena Ver de Novo (ainda passa?):
  1. Usar Hotmail. Você pode até ter Hotmail, pois afinal, quem nunca usou msn? E outra, é o lugar perfeito para você só receber lixos de e-mails de pessoas desagradáveis, para que elas nunca  enviem nada para o seu e-mail original. Mas ser usuário do Hotmail não, não tem perdão.
  2. Encaminhar ppt.: “FW VEJA ESSE VAGABUNDO NO SENADO”. Pessoas que nasceram a partir dos anos 70 não possuem autorização intelectual para serem toleradas com este tipo de atitude. 
  3. Fazer blog no Blogger: @VeryJess e @Luide: ATÉ QUANDO?! (até a Google melhorar o serviço, pois sou googlecêntrica)
  4. Se julgar fã dos livros quando na verdade você só viu o filme. Isso existe gente, eu conheço e o papo não dura muito, true story.
  5. Fingir que entende de alguma coisa, quando você só leu os conceitos na Wikipédia. Especialistas e intelectuais by Google, quem precisa deles? Vou falar só uma vez: especialista é quem FEZ especialização!
  6. Sem interesse próprio: a necessidade de se afirmar como inteligente é tanta, que ele lê os livros que indicam, vê os filmes que as pessoas falam que são fundamentais, vê os seriados que seus amigos inteligentes assistem. Mas se perguntar a ele, nada tem de seu, é apenas alguém que come o que a sociedade mandar, por desespero mesmo.
  7. Não ter opinião sobre browser: qual o melhor navegador? É o Chrome, CTZ. Ah é, por quê? Então a pessoa começa a repetir todas as coisas que ouviu dos outros, mas estaria no Explorer tranquilamente, pois não faz idéia de quais são as diferenças e vantagens dos outros navegadores.
  8. Virou moda é o novo “sempre curti!”. É moda gostar de super heróis? “Muito antes disso eu sempre curti eles, vou ver todos os filmes” (embora não faça idéia de qual a história do IronMan e não saber as diferenças entre As Crônicas de Nárnia e Harry Potter).
  9. Qual o último bom livro que você leu? O Segredo? Por favor, saia do blog e não esqueça de fechar a porta.
  10. Desmerecer os nerds: a pessoa assiste TBBT e ainda tem a coragem de te dizer: “ah, você não é nerd e tal, não é como você pensa.” Gente, isso não é um prêmio, como que alguém deseja desmerecer alguém de um xingamento? Minha amiga, não é um troféu carregar o estereótipo nerd durante o colegial, então por favor, engula esse pompom de animadora de torcida e volta pro joguinho de futebol, que lá é o seu lugar.

A lista não é maldosa, apenas expressa a ira que a banalização traz consigo.

E você leitor, achou que faltou algum item nesta lista?

Post dedicado ao autor da idéia: @Rico_Correia,

Se for add deixa….OH WAIT

Lembra do famigerado anúncio  deixado por todo mortal na rede social em experiência de pós-morte,  “só add se deixar scrap”? E isso servia para…? Óbvio, para que a pessoa te lembrasse de onde você a conhece, pois as pessoas até então usavam redes sociais para manter contato com seus amigos, colegas e parentes, e não queriam estranhos tendo acesso às suas fotos e informações pessoais, certo? E claro, dando uma ênfase especial às fotos.
Antes de tudo, as pessoas iam aos eventos e só tiravam fotos do que fosse memorável: formatura, casamento, aniversário. Com as câmeras digitais, as Casas Bahia e suas prestações a perder de vista e a TekPix, a câmera que só não está postando neste blog agora, pois ainda não a programei para isso (minto, não tenho uma), o ato de tirar fotos não implicava gastos mais, portanto fez com que toda a mágica desvanecesse para dar lugar a um novo ato: a futilidade. Foto do barzinho com os amigos, foto de aulas na faculdade, foto no banheiro, na sala, no quarto, foto de perfil em rede social, foto de tudo. Mas com o tempo, a futilidade também tomou forma e utilidade. Com as fotos você pode dar personalidade à sua vida virtual, fotografar acidentes, ou ter noção de como está o trânsito em Recife, sendo que você mora em Porto Alegre, e só soube disso pelo Twitter. Twitter, chegamos aonde eu queria. 
O relacionamento nas redes sociais não são sempre os mesmos, embora no início tendiam a ser. 
Orkut, onde tudo começou?
Nem fale nada, você tinha BuddyPoke QUE EU SEI.
No Orkut, você queria adicionar só quem você conhecia, para mostrar suas *fotos* do fim de semana, trocar idéias e os famigerados scraps, além dos depoimentos (aquela rasgação de seda, em que todo mundo ama todo mundo, todo mundo é fantástico, lindo e tal). A questão não é a inclusão digital, a questão não é gente infeliz fazendo fake  de cachorros. Você saiu do Orkut pois o serviço não lhe satisfazia mais, ou você é só um zumbi sem opinião que segue a correnteza e faz com que alguém na foto abaixo tenha ~ bilhões de motivos para rir. 
E o Facebook…
Mark rindo enquanto pode, será?
No Facebook você adiciona seus amigos, e com o botão do like, pode interagir com eles na timeline, em que todos comentam, e por isso a febre toda em volta da rede social (na qual eu não tinha mais de 20 amigos há 2 anos atrás). A interface clean conquista, os social games e os eventos também.
Me segue que eu te…
No Twitter quem você “adiciona” não necessariamente “adiciona” você. Você não necessariamente quer falar com seus amigos, pois o que você quer é entretenimento, notícias, dar risada, discutir assuntos e se expressar o máximo que dá em 140 caract…  Portanto, não importa se você segue um estranho, ou alguém que nunca falará com você. Não importa para a pessoa se você é legal ou o que você fez no fim de semana, a única coisa que importa é que rolem tweets de interesse para quem segue. E claro, se você quer compartilhar fotos, existe o Twitpic, e também tem o Twitcam para aparições ao vivo, um serviço deveras famosinho.
E o Tumblr?
No Tumblr, assim como no Twitter, é a regra de seguir e ser seguido, portanto, não é uma real amizade. Aliás, não é um real nada. Você segue alguém que você pode não fazer idéia de quem seja, você não sabe de onde a pessoa é, você não quer saber, você nunca mandará um reply para a pessoa, pois nem tem como fazer isso (no máximo uma pergunta na caixinha Ask, isso para os usuários que a deixaram ativa). Simplesmente não é amizade, são likes e reblogs e assim a máquina funciona e você vicia. E você gosta das pessoas e nunca saberá a idade delas, ou conseguir o msn (igual pode rolar no Twitter), pois o que interessa são likes e reblogs, memes e comemorações, imagens que você nunca veria em outro lugar da internet.
Você está olhando para David Karp, o criador do Tumblr. E se você for garota, você está olhando há mais de 10 segundos.
Aiaiai, o Google +


E o Google +, Jess? Bom, ainda estou na exploração do Google +, e posso falar a vocês que, assim como no Twitter, Facebook e Tumblr, se você restringir suas conexões a contatos da vida real, você pode perder o melhor da coisa. O G+ misturou aquela coisa linda que era o Google Buzz, em um lugar em que você pode postar de tudo, usar o Gtalk (sem automaticamente adicionar contatos que você adicionou ao seu círculo), e brincar de Hangout com a galera (é ótimo!). E pegou o melhor do Twitter e Tumblr: quem você adiciona não necessariamente virou seu contato, e só se tornará se ele te “circular” também (sim, lá você coloca as pessoas em círculos). O seu fim de semana pode ter sido super legal com a galera, então tire uma foto e poste no Twitpic ou no Instagram, pois estamos ficando sem tempo para olhar tantas fotos, já que o conteúdo não pára (enquanto você está dormindo, sua timeline do Twitter e dashboard do Tumblr estão acontecendo e você está perdendo tudo: pense nisso)
A minha dica seria: não faça do G+ o seu querido diário, e procure por usuários interessantes, você pode até adicionar seus amigos, mas faça um círculo que valha a pena acompanhar. Você não é um cachorro adestrado, vá atrás do conteúdo e pare de procurar o Orkut em toda rede social em que você entra. 

7 razões para Sailor Moon ser melhor que o Batman:

Certo dia a considerar sobre o Batman e quem poderia ser superior a ele. E claro que eu encontrei alguém, Serena Tsukino, a Sailor Moon. Eis abaixo, 7 razões que comprovam que a Sailor Moon é uma heroína superior ao Batman:

1. Responsabilidade: enquanto Bruce Wayne é um homem, adulto, que cuida de Gotham City, a princesa lunar cuida do UNIVERSO INTEIRO, e tudo isso com apenas 14 anos.

2. Estilo de vida: É fácil ser o Batman quando se tem a mão um Alfred pronto para atender a todas as suas solicitações. Ao contrário do bilionário, Serena Tsukino tem que ajudar a mãe dela, cuidar do irmão menor e ainda se virar para salvar o universo sem deixar de fazer o dever de casa. Classe média sofre.

3. Mas Jess, e o carro incrível do Batman? Sinceramente? Só torna as coisas mais fáceis para o homem morcego, pois a Sailor Moon tem que combater o crime À PÉ MESMO. É difícil e mesmo assim ela não desiste de sua missão.

4. Poderes: enquanto a Sailor Moon tem a tiara lunar, luta, dá socos, chutes e altos poderes do Prisma Lunar, o Batman é um Max Steel: cinto cheio de utilidades, arminhas e um carrão. ASSIM ATÉ EU HEIN.

5. Lição de moral: Frase eterna da Sailor Moon “Jamais perdoarei você por (insira aqui o delito cometido pelo bandido)”. A guria vai pra luta e ainda dá lição de moral nos bandidos, enquanto o Batman fala e o Joker tira sarro da cara dele…

Sou uma Sailor que luta pelo amor e a justiça!

6. Uniforme: vocês podem falar o que quiser do Batman, mas combater o crime com microssaia, salto alto, cabelo arrumado e NÃO PERDER A POSE não é pra qualquer um!

7. Equilíbrio: enquanto estuda, é uma boa filha e irmã, combate o crime e salva o universo, ela ainda conseguiu achar o amor da sua vida, e foi ser feliz. Agora me falem, Bruce Wayne não é um cara rancoroso, cheio de traumas não superados e que utiliza seu dinheiro para salvar as pessoas (como se isso não fosse mais do que a obrigação de um bilionário)? Dê para Sailor Moon ou para mim um terço das facilidades da vida do Batman, e pronto, estará aí a maior super heroína de todos os tempos.

Sailor Moon wins: DEAL WITH IT.

Caro leitor que se sentiu lesado pelos profundos insultos proferidos ao Cavaleiro das Trevas: I did for the lulz. Eu amo o Batman, vai no meu Tumblr para ver 😉

Sim, isso é SPAM!

Creio que 140 caracteres tem sido pouco para poder expressar a indignação de diversos usuários ao se depararem com alguns convites em sua timeline: conheça minha banda! Siga o meu blog! Te segui, me siga de volta?
Mais uma vez o Dicionário VeryJess de português vem atualizá-los e esclarecê-los a respeito de qualquer dúvida. 

Afinal Jess, o que é spam?

Spam é toda e qualquer propaganda indesejada em local onde não foi solicitada. Aquele e-mail de alguma estranha lhe ensinando a perder 8 kilos em 5 dias é um spam e todo mundo sabe. O que talvez as pessoas não saibam é o seguinte: ir conversar com pessoas que você NÃO segue, para tentar promover algo que NÃO foi solicitado por essas pessoas É SPAM SIM!
Existe um protocolo social que, na minha humilde opinião, é óbvio, porém, parece não ser tão óbvio assim. Se você lembra de uma pessoa e lhe passa um link, você é legal. Se você mendiga ouvintes para o seu MySpace, leitores para o seu blog, seguidores para o seu twitter, etc, você é um spammer. 

Tio, vc tem um RT pra me dar?

E quem é o spammer, Jess? É o filho da mãe que faz o spam. É por causa desse sujeito que você tem que filtrar seus e-mails de links e ícones maliciosos e de informações inúteis. E é esse tipo de sujeito que foi para o Twitter com o fim de: ah, todo mundo é popular aqui, eu quero ser também! (e não estamos falando de bots scriptados, ok? Não confunda as coisas, bots não conversam com você).

Spammers do Twitter tem sentimentos! Sim, é isso mesmo que você ouviu. A pessoa importuna cerca de 500 estranhos por dia com sua propaganda chata e ainda tem sentimentos. Esses dias, uma pessoa que eu não pretendo identificar ou deixar print aqui, me pediu para seguir o blog dela. Eu disse que não gostava de spam, e ela respondeu que as palavras podem magoar as pessoas e que esse tipo de comentário infeliz poderia custar o meu twitter! Isso mesmo gente, eu achei o Don Corleone no Twitter e se eu insistisse em lhe mostrar o quão inconveniente é sua atitude, eu poderia acordar com a cabeça do meu hamster debaixo dos meus cobertores!

Follow back ou eu atiro!

Algumas pessoas terão inteligência para entender que ser mendigo de atenção no Twitter é tão chato quanto o carinha que bate na sua porta para vender coisas e não sossega enquanto você não levar algo. Outras pessoas ficarão ofendidas, afinal, elas são mesmo esse carinha, e nestes casos, pelo menos no Twitter, você tem aquele lindo botão de “block and report for spam”. Vamos usá-lo com sabedoria galerinha, o poder é de vocês!

VAI TWITTER!

Se video game mata, eis a lista de 10 jogos para promover a paz

Desconheço a mente genial criadora da hashtag #videogamemata no Twitter, mas eis aí uma discussão que é não só edificante como assaz divertida.
A sociedade segue a vida, fragilizada após a chacina que houve na escola do Rio de Janeiro . O jovem Wellington, responsável pelas mortes, era alguém muito ligado à internet, que jogava muito video game e que provavelmente sabia o que é Tumblr, Formpring.me e Google Buzz; e nunca ficaria em algum lugar com a promessa de que teria bolo, pois sempre soube que o bolo é uma mentira¹. Neste momento,  você leitor se identificou com ele, não é mesmo?
Diferente do jornalismo sensacionalista, eu não ignoro que existem doenças mentais que existem, independente de religião, classe social, bullying e principalmente: INDEPENDENTE DE VIDEO GAME.
O mais interessante é pensar que o video game pode incentivar qualquer tipo de atitude violenta que já não estava anteriormente lá, como se algo virtual fosse capaz de inserir na mente e no caráter de uma pessoa o que ela deve fazer. 
Sendo assim, me prendam pelos mil Yoshi’s que eu já joguei no abismo, só para me salvar. E cuidado comigo, pois minha crueldade no Tetris pode significar que eu não sei competir de maneira saudável, e a maneira como eu usei os ursinhos no Conker: Bad Fur Day para degolar alguns esquilos mostram claramente que sou uma pessoa perigosa, potencial assassina, possivelmente a Miss Hannibal 2011. Isso sem contar o The Sims! (Quem nunca fez um ato desumano no The Sims, saia do meu blog, pls)
Mas aí, se video game mata, as novelas só ensinam porcaria, e os livros também podem ensinar muita coisa ruim (tem muita violência na Bíblia, sabiam disso?) vamos destruir tudo e montar um mundo cheio de arco-íris e de unicórnio. Quem sabe montando A Vila, de Shyamalan², não vamos ver que somos originalmente puros (aham Cláudia) e cheios de boas ações no coração, e que só nos tornamos maus por causa desses video games demoníacos!
E para este mundo lindo e colorido, apresento 10 jogos para promover a paz, nos tornar pessoas melhores e para impedir que você mate alguns jornalistas pelas últimas matérias apresentadas na televisão:

1. GTA Grand Teletubbie Auto: aprenda a andar de carro nessa cidade linda e fofinha com aquele sol sorrindo alegre para você! Respeite todos os moradores, pare no sinal e trabalhe duro que no final terá creme gostoso para todos!
2. Super Mario Therapy: chega de matar Goombas, chega de correr atrás da Peach, chega de abandonar o Yoshi, chega de cogumelos alucinógenos, tudo o que você precisa é sentar e conversar a respeito dos seus medos. Também trataremos essa obcessão pela princesa!
Yoshi agradece a sua iniciativa de lidar com seus problemas.
3. Xadrez multi-racial: porque peças brancas e peças pretas é um preconceito contra o povo asiático e contra os indígenas!
4. Birth of all Kombat: em vez de entrar em um torneio para matar as pessoas, aqui você é um obstetra e tem o incrível desafio de fazer vários partos em um dia só! Isso sim é Babality!
5. Resident Eevee: Acompanhe as aventuras da residente de medicina Eevee e seus amigos nerds em seu estágio na Umbrella Corporations! 
6. 007 contra o aquecimento global: Nada de matar, as armas do agente secreto 007 são as ecobags e organizar manifestações para salvar o planeta!
7. Veg-Man: ajude o lendário monstrinho amarelo a fugir dos monstros da carne vermelha e a comer somente frutas e vegetais orgânicos com certificação!
8. Zelda: watering pot: Nada de ganância, realizar desmatamento atrás de rupees e de violência, é a preocupação com o meio ambiente e o amor ao próximo que levará o jovem Link até a princesa Zelda. Seus instrumentos: um regador e uma ocarina.
9. Street Fighter: a maior batalha de todos os tempos de…dança de rua! Isso mesmo, é preciso muito gingado para este Hadouken surpreender os concorrentes!
10. Bomberman’s factory: nesta padaria você vai fazer bomba de chocolate, doce de leite, morango e ganha pontos se inventar sabores novos!
Acho que já é muito arco-íris e trocadilhos podres para um post só, não?
¹Piada interna que só bonitos entendem.
²Muita vergonha de citar Shyamalan em um post, MUITA.