Cool Cover #3

A briga de hoje vai deixar as coisas tensas entre eu e meus queridos leitores. E por quê? Bom, é que talvez a minha resposta não seja nada do esperado. Mas vamos lá, a canção “Firework” foi composta por Katy Perry para seu álbum Teenage Dream. Foi um dos seus maiores sucessos no ano de 2010 e com certeza a titia Katy arrebenta (além de ser linda de morrer). Hoje ela vai ser palco da batalha entre as vozes de Katy versus a bela Gabby Young, da banda indie Gabby Young and The Other Animals.

Anúncios

Cool Cover #2

Caros leitores, segundo a Wikipédia, Toxic foi uma música escrita em 2004 para a cantora Britney Spears. 


Como toda pop, sabemos que a nossa garota do “ooops I” não chegou nem perto de compor este hit de sucesso. Esta música marcante é a favorita de Britney em toda a sua carreira e eu considero uma das melhores… Mas não na performance de Britney. Por isso a batalha de hoje será:


 Britney Spears X Yaël Naim

E quem é a segunda, Jess? É uma cantora franco-israelita que começou a fazer sucesso com a música New Soul. A voz dela é uma delícia e o álbum é pura personalidade. Vamos lá!

E agora é com vocês:

var $CE = jQuery.noConflict();
Qual é a melhor versão?
  • Britney Spears
  • Yael Naim
  • Votar Ver resultado
    Vocês tem um cover para me sugerir? Deixem nos comentários 😉

    Cool cover #1

    Algo que estou pensando em postar há séculos pra vocês e nunca que eu faço é esta nova parte do blog, chamada Cool Cover. O objetivo é apresentar a vocês algumas boas músicas e um dos covers que foram gravados dela. Algumas vezes os covers revelam-se melhores que os originais, outras vezes você se pergunta como que a pessoa teve a audácia de gravar algo tão ruim!
    Pois bem, esclarecidos os objetivos, a batalha de hoje é: Emiliana Torrini x The Baseballs.
    A música é: Jungle drum, gravada por Emiliana em 2009. Ouçam as duas e aí responda: quem fez a melhor versão? 

    Já ouviu Talia Segal?

    Se você gosta de ouvir música nova e conhecer o trabalho de gente diferente, você está no post certo!
    Colocando no perfil do Facebook os nomes dos cantores/bandas que eu mais gosto, comecei a receber sugestões de novos álbuns para ouvir (eis uma vantagem de completar os dados do perfil). Certo dia, no lado direito da tela do Facebook, surgiu a pergunta: você gosta de Ingrid Michaelson? Então conheça Talia Segal!
    Não só cliquei e conheci, como amei! Esta americana de voz melódica e letras de temática doce entrou na minha listinha de cantoras favoritas! Na fanpage dela elogiei o trabalho, consegui resposta e também uma entrevista para o VeryJess! Pois bem galera, abra os ouvidos do seu coração e conheça esta moça:

    Talia tem 28 anos, nasceu em Washington DC, Estados Unidos. A entrevista foi realizada via e-mail:

    1. Eu vi você falando em seu Twitter: “Brewin’ a cup of tea and watchin’ my late-night movie: ‘Becoming Jane'”, você curte Jane Austen? Ela é uma inspiração para o seu trabalho? (Becoming Jane, no Brasil “Amor e Inocência” é um filme realizado como biografia de Jane Austen, estrelado por Anne Hatthaway)
    Eu gosto de Jane Austen, tanto por seu trabalho como escritora, quanto pelas qualidades que ela incorpora como mulher de espírito independente. Isto era tão incomum para as mulheres de sua época! Ela estava tão a frente do seu tempo! Ela é definitivamente uma inspiração para mim, como artista, assim como F. Scott Fitzgerald e Virginia Woolf (meus dois escritores favoritos). Eu amo ler.

    2. Eu encontrei você em um link no facebook que dizia: Você gosta de Ingrid Michaelson? Agora lhe pergunto: você se identifica com o trabalho da Ingrid?
    Como uma cantora e compositora independente, eu me identifico com o trabalho da Ingrid e admiro muito seu sucesso. O que eu gosto em suas canções é a maneira como ela aborda os temas: solidão, fragilidade humana, amor e mágoa, mas ainda consegue ficar “light” e acessível ao seu público através da sua instrumentação e escolha das letras. Eu acho que ela é muito inteligente em fazer isso, e eu me esforço para escrever assim também. 

     



    3. E falando sobe identificação e inspiração, você pode me dizer quem no mundo da música inspira você? Você ouve que tipo de música?

    Eu realmente me inspiro pela Antje Duvekot. Ela é uma cantora e compositora germano-americana que é popular no mundo do folk. Seu estilo de composição não é como o de ninguém – ela usa uma linguagem muito original de uma forma interessante. Ouvir Antje definitivamente me inspirou a “pensar fora da caixa” e a ser uma compositora melhor. Quando ela lança um novo álbum, eu simplesmente compro. Eu não tenho que ouvir uma prévia para ver se vou gostar, pois, na minha opinião, tudo o que ela compõe é incrível!
    Quanto ao estilo de música que eu ouço, eu sempre tive um gosto eclético. Eu não acredito que deveriam haver quaisquer regras sobre que tipo de música você “deveria” gostar. É mais importante para mim que a canção tenha uma melodia cativante e letra interessante, independente de que estilo de música é. Então, eu também ouço pop, rock, música clássica, country, folk e rap no meu iPod. Eu adoro vagar pelo iTunes e descobrir novos artistas que eu não ouviria em uma rádio ou na MTV. Agora eu tenho ouvido Antje Duvekot, Indigo Girls, Mindy Smith, Flyleaf, The Beatles, Die Antwoord e a trilha sonora de Country Strong.

    5.Você toca algum instrumento?
    Quando criança, eu fiz aulas de piano pelo Suzuki Method. Quando cresci, eu troquei o piano pelo violão, que é hoje meu principal instrumento.

    6. Como você vê essa história de downloads grátis de músicas? Eu gostei muito de baixar sua música Memento, antes de ter o álbum todo, você acha que isso é bom para os fãs?
    Eu adoro oferecer downloads grátis! Meus fãs são muito importantes para mim, pois sem eles, eu não teria como fazer o que faço. Disponibilizar música grátis é o meu jeito de dizer “obrigada”. Eu também acho que é legal para gente que nunca me ouviu antes, poder provar da minha música sem gastos – é como provar um novo sabor na sorveteria para ter certeza que gostou, antes de comprar. Acredito que seja uma maneira justa para uma artista nova como eu se apresentar para os fãs em potencial.

    7. Bom, para terminar a entrevista, diga-me o que você acha do Brasil. Já pensou em conhecer o nosso país? (hahahhaa, achei essa pergunta minha tão “entrevista básica da Globo) 
    Eu não tive ainda a oportunidade de viajar para o Brasil, mas já ouvi que é o país mais bonito do mundo, com as pessoas mais lindas e que na virada do ano, todo mundo comemora e dança nas ruas da cidade, mesmo se estiver chovendo! Eu gostaria de visitar o Brasil algum dia e conhecê-lo melhor.

    Bom gente, além de muito simpática, a Talia chamou vocês todos de lindos! Apesar de passar bastante a impressão que os americanos têm a nosso respeito: país bonito, gente alegre e carnaval. Em parte é legal, em parte não, mas creio que já mudaremos um pouco esta questão, quando ela olhar este blog nerd =)

    The Thing Itself é o mais novo álbum da Talia, se quiser ouví-lo um pouco, clique aqui.
    Agradeço ao carinho da Talia e o VeryJess deseja muito sucesso!

    Ouça quando…

    Não é de hoje que a banda norte-americana Ok Go impressiona todos nós com seus clipes criativos. 
    Mas não é só de imagem que vive a banda, categorizados como rock alternativo, os meninos de Chicago não deixam a desejar musicalmente, como está escrito no site dos mesmos “But don’t let that distract you, the best part of OK Go is still the music
    Dado o recado, vamos conferir o melhor de Ok Go.

    Eu escolhi essa música por ser a que mais gosto, mas recomendo outras, participação especial dos Muppets: Muppets Theme Song, com os lindos cachorrinhos: White KnucklesEnd LoveLast Leaf,um bonus track para os usuários do Google Chrome All is not lost.

    Ouça Ok Go quando você precisar de criatividade, inovação e música boa.

    Ouça quando…

    Quando conheci a Ida Maria no Ouca quando… anterior, não teve como não lembrar da querida Imelda May. 

    Imelda Mary Clabby, 37 anos, com carinha de 27, mais conhecida como Imelda May, é uma irlandesa cujas influências são o blues, jazz e rock. Tem este jeito retrô que lhe deixa a forte impressão de ser uma cantora de outra época. 
    Batom vermelho, delineador, topetinho único e um vocal de personalidade é tudo e mais um pouco que você pode esperar da moça. Para conhecê-la melhor, ouça Psycho: 
    Ouça Imelda May o tempo todo quando você achar que falta algo na música contemporânea que deixa a desejar 😉

    Ouça quando…

    Depois da fofíssima Lisa Mitchell ter aparecido no VJ, é hora de vocês conhecerem a explosiva  Ida Maria.


    Ida Maria Børli Sivertse é da Noruega, tem 27 anos e muita personalidade. Com uma voz forte e muito expressiva, teve seu primeiro álbum intitulado Fortress Round My Heart, que fez grande sucesso na Inglaterra, letras provocantes e muito indie rock fazem parte de seu repertório.   
    Ela sofre de uma patologia neurológica, que a faz ver cores quando ouve música.
    Recomendo as músicas Oh My GodStellaLouie

    Ouça I Like You So Much Better When You’re Naked de Ida Maria, quando quiser:
    – Gritar
    – Pular
    – Cantar
    – Extravasar
    Não necessariamente nessa ordem.

    Ouça quando…

    A linda Lisa Helen Mitchell tem apenas 21 anos, é uma inglesa que mora na Austrália desde os 3 anos de idade. Participou do Australian Idol em 2006, ficando em sexto lugar.

    Cuteness overload, tem uma voz suave e doce. Compõe suas próprias músicas, uma mistura de folk e pop.Escreveu a música Coin Laundry quando estava em uma lavanderia na Austrália, perguntada sobre a letra respondeu: “I was thinking about love, of course, and if I’d ever find that special one. Maybe I’d find love right there in the coin laundry.” Como não amar?


    Ouça Coin Laundry de Lisa Mitchell quando precisar de uma dose forte de fofura no seu dia.

    Regina Spektor: hora de se apaixonar por ela!

    Vamos falar dela!

    Sempre e sempre que alguém me pergunta sobre uma música legal para ouvir, eu posso dizer essa, da Regina Spektor. E sempre tem uma música diferente, para cada estilo, para cada momento. Mas antes que o meu papinho “Regina Spektor é demais!” vire apenas um post, preferi apresentar tudo o que vocês precisam saber sobre Russian Doll em apenas 2 minutinhos de vídeo.

    Agora é a hora, ou você se apaixona ou cai fora.

    3 cantores, uma voz

    Você conhece algum desses lindos rapazes? Pela voz seria mais fácil? Vamos ver então.
    O primeiro é Barry Hyde, vocalista da The Futureheads, uma banda de rock alternativo britânico, já fizeram abertura dos shows de: Franz Ferdinand, Pixies, Oasis, Foo Fighters. Seu primeiro álbum foi o melhor dos quatros lançados, donos de uma música vibrante, alegre, batidas fortes e compassadas. É só começar a tocar que sua cabeça começa a balançar.

    Esse rapaz de olhar misterioso é Adam Olenius, é o líder da banda indie pop/rock Shout Out Louds. Todos são de Estocolmo e se conhecem desde jovens. Seguem a linha das bandas: The Strokes, The Magic Numbers, The Rosebuds.É daquelas bandas simpáticas, fez parte da trilha sonora do filme cute com Michael Cera: Nick and Norah.
    Kings of Leon é uma banda hipter? Muita gente diz que sim, mas não deixem de ouvir o novo álbum dessa família linda de rockeiros. Eles estudaram em casa, não assistiam TV e tocavam na banda do pastor Leon Followill, por isso do nome da banda, a voz de Caleb Followill is very awesome. O último álbum tem uma melodia triste, um ar mais grunge. Imperdível.