Tatue isso na testa

Na tela da tv no meio desse povo você fica sem muitas opções de diversão, não é mesmo?

Eu sei que existe que gosta de carnaval, mas para quem não curte, o que você chama de diversão?

Eu vou ver muitos filmes, dar uns passeios, comer doces, me divertir com o namorado. E você, o que pretende? Uma das coisas que podemos lembrar sempre é que o que é dito para a massa fazer não é uma obrigação para ninguém, muito menos para você.

Diferente dos anos anteriores, este ano eu só quero desejar que vocês se divirtam =)

Cair na rede > Cair na folia

Se tem uma coisa detestável em feriados é o fato de você não precisar de um. Se você estava doidinho para viajar com os amigos, rever a namorada, ou como um amigo meu, ia dar um pulo ali nos EUA, que bom para você! Mas se você está de férias e seus planos de viajar durante o carnaval foram por água abaixo, você como eu, está aqui, lendo este blog, e reparando nos mil problemas que ele está com o template, e com o Image Shack. (Calma gente, todos os problemas serão reparados e eu trarei novidades para vocês.) Aposto então que você pensou:
Oh, por que não cair na folia então? Aproveita que você está ai na sua cidade! Aposto que tem algum lugar bacana para ir e tudo pode acontecer!
Não. Não aproveito não, e vou dizer o porquê.
1. A música é ruim e não significa nada. Infelizmente não há uma pessoa com um Q.I de 3 dígitos que possa entrar neste blog e me explicar onde está o louvor e a profundidade do axé. A música não significa nada e as batidas são simplesmente as mesmas, e eu só conseguiria distinguir Ivete Sangalo de Cláudia Leite por apenas um fator: uma delas é loira. Portanto Ivete, não pinte o cabelo, não faça isso comigo amiga! (Samba-enredo desde que me entendo por gente é o mesmo ritmo e a mesma voz rouca tentando prestar sérias homenagens com mulheres nuas. Se eu usar pedofilia em campanhas pra combater o câncer também posso considerar meu trabalho como algo sério?)
2. A aglomeração é desconfortável: você está lá no meio do povão e desmaia. Até que você seja encontrada e seja formada uma rodinha em volta de você, vários passinhos da dança do verão foram dados em cima de você, minha cara. Além de tudo, é aquela relação (de relar mesmo). Mas é claro, eu estarei falando bobeira se a sua rotina é de encarar o coletivo no horário de fim de expediente e você curte demais que seu rosto se transforme em instrumento de cultura para aquelas axilas úmidas e cheirosinhas
3. Não há interação humana: aquela conversa que você tanto ouve “menino, você tem que sair de casa!” pareceria fazer sentido agora, mas não faz. Não há conversa ou novas amizades. Novas DSTs talvez, mas bom, isso é uma escolha sua. Eu particularmente gosto de limpeza. 
4. Ninguém é de ninguém: o que dá uma liberdade bem maneira para um cara chegar e te agarrar. E claro, todo mundo pode fazer isso, é pura curtição. Se você não quiser isso, você está no lugar errado, guria. 
5. Calor infernal: essa época do ano já é quente, aí você vai ficar o dia inteiro pulando e dançando e cantando? 
6. Os desfiles pelo menos são lindos! Não, ver o país se empenhando o ano todo para cuidar de um desfile, mas não para limpar toda a sujeira de Brasília de fato não me traz alegria alguma. Onde está sua consciência política neste momento? E pra onde vai toda aquela sujeira? Onde está sua consciência ambiental? 
Pois bem meus caros, eu prefiro cair no Tumblr, Facebook, Twitter e até ficar jogando Tetris do que sair lá fora ou ligar a TV. E tenho dito.

Comédia brasileira

Carnaval hein? Dança, aqueles desfiles maravilhosos, tanto brilho, tanta tecnologia, tantas homenagens à pessoas famosas e muito adoradas. De fato o Brasil para tudo para festejar. Dá gosto de ver a alegria do brasileiro, é festa por todo lugar, muitos gostam de dançar, tem show em todo lugar. O samba, axé, pagode são os hinos da alegria, e dão à seus apreciadores um sentimento de satisfação, por fazer tanta gente se mexer e se contagiar com a música.
Mas é tão engraçado que no mesmo país dessa festa é o país em que uma nutricionista faz a chamada do Bolsa Família. Não sei se isso ocorrem em todos os municípios, mas já executei esta tarefa no meu. Nesses momentos conheci alguns brasileiros um pouco diferentes dos que são mostrados na TV durante o carnaval. Crianças magrelas, descalças, mães com um monte de crianças e nem todas tinham blusa de frio para comparecer à tal chamada.
Você pesa, você mede e calcula. E descobre que dos 5 filhos, 3 estão com desnutrição, mas o nome é hipocritamente trocado pela denominação Baixo Peso. Claro, por que falar desnutrição pode ser assustador para uma mãe. Baixo peso dá uma maquiada, até eu me sinto melhor de dar um diagnóstico desses.
Então, com a frase decorada pelo sistema, pateticamente faço escrevo um encaminhamento para que a mãe procure um médico para seus filhos, se possível (o que seria muito melhor), um nutricionista.
Vem cá, que piada é essa? Quando que essa mãe conseguiria consulta pela rede pública com um nutricionista para seus 3 filhos? Ela não tem dinheiro para levar os meninos de ônibus até a clínica que atende à comunidade. Isso é ridículo, não? Mas era esse meu trabalho, entregar o papelzinho de encaminhamento, e depois de findo o serviço, ter certeza de que o Bolsa Família é um programa que tem beneficiado a muitas e muitas famílias nesse país.
E se eu contasse para vocês que essa mãe recebe a bolsa e gasta tudo em bebidas, festa e roupas para ela? Não que a grana seja muita coisa, mas não seria um absurdo? Você se sente revoltado de, na casa dela precisar de leite, pão, arroz, feijão e carne, e os meninos só comerem na creche pois ela gasta tudo com essas “futilidades”?
Este último parágrafo foi apenas uma suposição, eu nem sei o que a tal mãe faz com o dinheiro. Porém, isso seria muito revoltante, não seria? Ou você riria e dançaria com ela nas festas, sabendo que seus filhos não conseguem dormir de fome?

Da mesma forma, eu não rio para um Brasil que gasta com Carnaval, eu não me alegrei pelo nosso país sediar a Copa e as Olimpíadas. Rir e se alegrar disso é a mesma coisa de aplaudir uma mãe que nesciamente destratasse os seus filhos. Se isso lhe incomoda, como festejar, se emocionar e vibrar com essas “vitórias”? Não acho que é vitória pular, rir e aparecer na TV enquanto as pessoas passam fome, sem cuidados, sem atendimento, com filas sem fim para consultas que deveriam ser urgentes?
Isso incomoda você? Eu não sei se isso faz o seu sangue borbulhar por suas artérias e querer explodir. Ou se pelo menos a sua educação não lhe ensinou que a gente só gasta à vontade e faz mimos com o que sobra, para sempre garantir que o que é essencial nunca falte.
Este post não é uma crítica direcionada ao Programa Bolsa Família, e sim à alegria de cada brasileiro que canta e dança e ignora a realidade de seu país dia a dia.

Na tela da TV no meio desse povo…

… a gente vai se ver na Globo!!
Já deu pra perceber que TV aberta no feriadão não vai rolar, certo?

Pessoas suadas pulando, mulheres desnecessariamente expostas, bagunça, compartilhamento de DST: carnaval meus caros, é mesmo uma maravilha. Já que eu, e você que está lendo este post, estamos nos divertindo muito, vamos procurar o que fazer. Pedi indicações pelo Twitter, mas pelo visto o pessoal deve estar pulando aí em algum bloco.
A @mariana__b disse: Assistir filmes fora do circuito comercial. Eu indico Laranja Mecânica, clássico e Les Hauts Murs (Entre os muros da prisão).
Gostei da idéia, até porque eu não assisti a nenhum dos dois.
Eu indicaria fazer os 5S no seu quarto e dar uma arrumada geral, mas você me dirá: mew, que chata! Bom chata, mas organizada.
Eu indico o CD de She & Him, estou encantadinha com os dois. Musicas gostosas d+