O que eu realmente penso sobre as séries

Para quem não sabe, me tornei redatora de um portal de notícias, para o blog de Séries & TV deles. Tem sido uma experiência ótima e estou aprendendo muitas coisas sobre blogs que os meus quase 4 anos de VeryJess não me proporcionaram. Lá eu até posso ter alguma opinião sobre as séries, mas atacar agressivamente como eu gosto de fazer aqui é algo que eu evito. Mas isso não significa que eu não tenha opinião. Algumas séries eu comecei a ver justamente por causa do meu trabalho e mais ou menos sempre sei o que está rolando nas principais séries.

Pois bem, eis o que vocês não me verão falando no site, sobre…
1. Once Upon a Time: alguém por favor, tira aquela jaqueta de couro vermelha da Jennifer Morrison? Sério, este negócio de usar só a mesma roupa o tempo todo é em desenhos animados. A jaqueta é bonita, mas agora já está cafona, já que ela não tira nunca. E em que realidade o seu pai é o Josh Dallas e você consegue olhar no fundo dos olhos dele e não pensar em bobeira? Além disso, acho sonífero esse lance de reaproveitar contos de fadas para fazer filmes/séries com os efeitos especiais da tecnologia de hoje.

LEIA MAIS +

Anúncios

Tomando decisões

Não posso falar que é comprovado cientificamente que as emoções e estímulos físicos afetam e muito as nossas decisões, pois não encontrei nenhum artigo científico falando disso agora (mas se alguém encontrar, será muito bem vindo nos comentários), todavia, é impossível discordar que, por causa dos fatores anteriormente citados, a nossa inteligência e julgamento são facilmente comprometidos.

Creio que posso falar por todos quando digo que um não pode se tornar um sim, quando a argumentação ultrapassa os limites razoáveis de uma discussão. Uma mãe não quer fazer um bolo de chocolate para o filho pois está cansada, ele utiliza a técnica de falar de maneira fofa e começa a dar beijos no rosto dela: pronto, ela está lá colocando os ingredientes em uma batedeira.

É claro que, quando as emoções e/ou os impulsos físicos (a libido, e/ou sei lá mais o que) tomam as rédeas da nossa razão e por consequência, das nossas ações, nem sempre estamos falando de um nível alto de agradabilidade das consequências. Uma das coisas que você já deve ter ouvido falar são aqueles comentários de que “não se deve tomar decisões de cabeça quente” e claro, se as pessoas de fato refletissem a respeito da esfera que as motiva a tomar certas decisões, alguns assassinatos não teriam acontecido, e em um âmbito menos violento, você teria contido aquelas palavras horríveis e aquela pessoa com quem não conversa mais hoje, estaria ao seu lado. Outra coisa que definitivamente não aconteceria, se as pessoas esperassem a euforia ir embora e deixassem que um sentimento mais sóbrio irrigasse seus corações são as malditas tatuagens com nomes de namorado(a), ou pior, com nome/rosto de ídolos, seja da música, futebol, seja Jesus Cristo.